• Home >
  • O Município >
  • História

História

Biografia do Patrono

Henrique Pereira de Lucena, em 31 de maio de 1872, recebeu sua primeira nomeação para Presidente de Província, equivalente, hoje, ao cargo de Governador de Estado. A primeira Província a ser presidida por Lucena foi o Rio Grande do Norte, onde, no seu governo, fomentou a agricultura e prestigiou a justiça, permanecendo no cargo até 17 de novembro de 1872. Dois dias após, era nomeado Presidente da Província de Pernambuco, onde moralizou as finanças públicas, reconstruiu o Teatro Isabel e concedeu direito às professoras de lecionar alunos de ambos os sexos. Passou o Governo em 03 de abril de 1875, sendo nomeado Juiz de Direito da Comarca de Palmares. Antes, em 20 de fevereiro daquele ano, o Governo Imperial conferiu-lhes as honras de Desembargador.

Em 13 de dezembro de 1876, Pereira de Lucena foi nomeado Presidente da Província da Bahia e sua administração se destacou pela reforma dos serviços públicos, regularização do sistema tributário, fundou a Junta Comercial e a Academia de Belas Artes e criou a Caixa Econômica. Deixou o governo baiano em 04 de fevereiro de 1878. 

No dia 12 de setembro de 1885, Henrique Pereira de Lucena foi nomeado pelo Imperador D. Pedro II, Presidente da Província do Rio Grande do Sul. Assumiu o cargo em 28 de outubro, em Porto Alegre e tornou-se o 89º Presidente da Província e fez no Rio Grande do Sul, apesar de poucos meses, uma administração altamente meritória. Além da abertura dos canais da Lagoa dos Patos, cuidou com carinho das estradas e pontes do interior. Uma das suas grandes realizações foi a construção de uma estrada de rodagem ligando São Leopoldo a Nova Petrópolis. A importante obra, iniciada na sua administração em dezembro de 1885, ficou totalmente aberta em 1888, tendo custado $75:555000, inclusive a ponte sobre o Rio Cadeia. Por caber-lhe a iniciativa do útil melhoramento, que trouxe o progresso à região, foi-lhe dado o nome de Estrada Presidente Lucena. Permaneceu na presidência do Rio Grande do Sul até o dia 04 de maio de 1886, quando foi eleito Deputado da Câmara por sua Província natal, Pernambuco.

Em 16 de maio de 1888, Pereira de Lucena recebeu das mãos da Sra. D. Isabel, Princesa Imperial Regente, o título nobiliárquico de Barão de Lucena, em reconhecimento ao fato de ser o Presidente da Câmara dos Deputados por ocasião da assinatura da Lei Áurea.

Após a Proclamação da República, Henrique Pereira de Lucena continuou atuando em cargos públicos como Juiz dos Feitos da Fazenda e novamente, Presidente do Estado de Pernambuco, cargo que assumiu em 05 de fevereiro de 1891.

No Governo de Deodoro da Fonseca, primeiro chefe republicano, Lucena foi o Ministro da Justiça, além de ter passado pelos Ministérios da Agricultura e Fazenda. Encerrou sua carreira política com a renúncia do primeiro Presidente da República do Brasil, em 23 de novembro de 1891, como Ministro do Supremo Tribunal Federal.

Henrique Pereira de Lucena faleceu na Cidade do Rio de Janeiro, em 10 de dezembro de 1913, com a idade de 78 anos. Era uma das mais queridas relíquias da Pátria, a que servira, em dois regimes, com devotado amor e espírito de sacrifício e de renúncia, além de ser um grande magistrado.